• Dr. Lanza

Saiba porque 84% dos vegetarianos/veganos voltam a comer carne

Atualizado: 29 de Fev de 2020

 O vegetarianismo e o veganismo não são apenas dietas específicas, são também considerados estilos de vida. São defendidos por atender uma série de razões sociais, ecológicas e éticas.


Uma pessoa que, por pelo menos 18 anos comeu carne, mudaria para uma dieta à base de vegetais pelo resto de sua vida?


Cientistas britânicos realizaram um estudo no qual foi descoberto que 84% dos vegetarianos e veganos voltaram a consumir carne. E esta decisão é explicada por várias razões que você encontrará neste post.


1. Planejamento de dieta

Se você está acostumado a comer lanches e muitas vezes esquece o almoço ou o jantar, o vegetarianismo provavelmente não é indicado. Sua dieta não pode consistir de arroz, soja, batata frita e alface. Deve ser elaborada com alimentos de alto valor nutritivo e possivelmente planejada de forma a levar praticidade ao dia-dia. Essa praticidade envolve acesso a receitas rápidas preparadas com alimentos nutritivos e que podem ser armazenadas e congeladas ou resfriadas com facilidade de forma a manter a consistência do bom hábito alimentar adotado.


2. Deficiência de vitaminas


Além de proteína e ferro, a grande preocupação dos vegetarianos e veganos tem relação com o consumo ideal de vitaminas como B12 e D, e minerais como cálcio e cobre.


O déficit dessas vitaminas e minerais podem estar acompanhado dos seguintes sintomas:

Vitamina D: Fraqueza geral, dor óssea, infecções frequentes, etc.


Essa vitamina é encontrada em produtos lácteos frescos, queijo, iogurte e ovos, carnes, peixes e frutos do mar.


Os vegetarianos e veganos podem ficar tranquilos, afinal, é quase que unanime a deficiência de de vitamina D nos brasileiros comendo ou não alimentos de origem animal. A melhor vitamina D que podemos disponibilizar para o nosso corpo está em adotarmos um hábito simples e muito saudável, expor-se ao sol de 45º pelo menos 15 minutos todos os dias. Outra abordagem que auxiliará no aumento dos níveis séricos dessa super vitamina é consumir alimentos como cogumelos (Shitake e Porto Belo) assim como abacate, brócolis, manga, etc. Outra abordagem a ser utilizada em casos extremos da carência dessa vitamina é a suplementação.


Vitamina B12: Dormência das extremidades, dores de cabeça, letargia, dores musculares, depressão, etc.


Fontes de origem animal que oferecem essa vitamina são peixes, frutos do mar (camarão, salmão, sardinha), carne bovina, leite e derivados. É importante salientar que a carne vermelha, uma das maiores fontes de vitamina B12 vem sofrendo um revés, isso porque pesquisas científicas estão comprovando que os gados também estão apresentando a deficiência dessa vitamina. Para que o gado produza essa vitamina no intestino é importante que se alimente em pastagens, situação essa que vem sendo substituída pelo consumo de rações. Dessa forma, pecuaristas estão suplementando vitamina B12 e Cobalto nos gados para que não sofram com perda de peso excessiva, anemia e morte.

E aqui estamos novamente diante de uma vitamina que constantemente está em carência ou deficiência na maior parte da população, mesmo nos consumidores de carnes.


Colegas veganos e vegetarianos, temos boas notícias pra vocês, a vitamina B12 também é encontrada em algas marinhas e levedo de cerveja, além disso, pesquisas apontam que um intestino saudável e equilibrado pode sintetizar essa vitamina. Outra abordagem muito utilizada pelos nutricionistas é a suplementação dessa vitamina quando encontrada em severa deficiência.


3. Déficit de zinco



A deficiência de zinco é um dos fenômenos mais perigosos para o corpo humano, e é mais comum em vegetarianos que não possuem receitas que possibilitem ingerir esse mineral.


Se você notar uma perda grave de cabelo, nervosismo permanente, alteração na coordenação e possíveis lesões de pele que demoram mais tempo para cicatrizar do que o habitual, consulte seu nutricionista.


O que também não deve ser uma preocupação se você possui uma alimentação diária que contenha grão de bico, semente de linhaça, semente de abóbora, amêndoa, cacau em pó, etc.


Pensando nisso e em outros desafios, desenvolvi um E-book com 91 receitas com alimentos que possibilitam qualquer vegetariano/vegano ingerir todos os nutrientes necessários, RECEITAS DO GLADIADORES.


4. Soja e a síndrome do intestino irritável, disbiose e hiperpermeabilidade intestinal.


soja é uma das principais fontes de proteína em pratos vegetarianos e veganos e na minha opinião a pior das escolhas. Muitos estudos já comprovaram que a soja, devido ao seu peso molecular ter aumentado com as modificações genéticas que esse grão sofreu nas últimas décadas, afeta a homeostase intestinal, alterando a expressão do gene da microbiota causando sérios problemas ao indivíduo que a consome, inclusive infartos. Ampliar o leque de opções com novas receitas que ofereçam ao seu organismo todos os nutrientes necessários possibilitando se manter vegetariano/vegano e saudável é a melhor escolha.


5. Falta de ferro

Outra preocupação da maioria dos veganos/vegetarianos é a falta de ferro. A falta de ferro desenvolve a anemia por deficiência de ferro, uma condição em que leva a baixa da hemoglobina, responsável pelo transporte de gases pelo corpo, principalmente o oxigênio.Os sintomas podem incluir letargia, fadiga, falta de ar e tontura. Caros veganos e vegetarianos podem tirar essa preocupação da cabeça, 75% da população brasileira hoje encontra-se anêmica e muitas vezes sem saber. Isso pode ocorrer porque a grande maioria dos profissionais da área da saúde analisam exames laboratoriais dentro dos valores de referência, que já caíram por terra há alguns anos. A carne contém ferro heme, um tipo de ferro que seu corpo pode absorver facilmente enquanto as fontes vegetais contêm ferro não-heme, que seu corpo não consegue absorver tão facilmente.


No entanto, uma dieta vegetariana/vegana bem planejada repleta de alimentos vegetais ricos em ferro não-heme acrescidos de alimentos fontes de vitamina C pode atender às suas necessidades diárias tranquilamente.


Certifique-se de consumir fontes boas de ferro, incluindo lentilhas, feijão, nozes, sementes, aveia e folhas e legumes verdes escuros e utilizar como tempero para as saladas o suco do limão

. Tenha acesso a receitas que possuem todos esses alimentos e foram planejadas para oferecer ao seu corpo todos os benefícios de uma alimentação saudável.


CONCLUSÕES FINAIS


Adotar a alimentação vegana ou vegetariana é com certeza gozar de uma saúde blindada, desde que consuma preparações saudáveis com alimentos extremamente nutritivos.


No entanto, esse estilo de vida pode levar a deficiências nutricionais e problemas de saúde potenciais se não for bem planejado. Se você está apenas começando nesse estilo de vida vegano ou vegetariano informe-se e saiba quais são as bases dessa alimentação.


E lembre-se: para conseguir uma dieta vegetariana ou vegana saudável, baseie sua alimentação em comida minimamente processada. Um abraço do seu nutricionista,


Dr. Lanza




3,233 visualizações0 comentário